Exército paquistanês para operação em Swat para facilitar paz

Islamabad, 17 fev (EFE).- O Exército paquistanês parou a operação que começou há seis meses e meio no conflituoso Vale de Swat, para facilitar o acordo de paz que as autoridades negociaram com um grupo fundamentalista local, disse hoje uma fonte militar.

EFE |

No entanto, "não vamos retirar as tropas de Swat até que a paz seja restaurada. Estas permanecerão para garantir que não haja incidentes, terão uma atitude de reação, mas a operação parará, por enquanto", disse hoje à Agência Efe o porta-voz do Exército, Athar Abbas.

No domingo, os talibãs anunciaram uma trégua de dez dias em Swat, em apoio às negociações entre o Governo da Província da Fronteira Noroeste com o grupo fundamentalista Tehreek-e-Nifaz-e-Shariat-e-Muhammadi (TNSM).

O acordo de paz "é uma iniciativa do Governo provincial e a acatamos e respeitaremos. Acham que é a maneira de alcançar a paz em Swat, porque, desta vez, negociaram com o TNSM, que, embora não sejam os talibãs, têm muita influência nele. Mas não iremos embora até que deixem as armas", disse o porta-voz militar.

O pacto com os talibãs ocorre poucos dias depois que o Executivo central anunciou uma mudança de estratégia militar no vale e que o próprio chefe do Exército, Ashfaq Kiyani, foi à região para supervisionar as operações contra os insurgentes liderados pelo mulá Fazlullah.

Fazlullah é genro de Sufi Mohammed, também clérigo e líder do TNSM, quem foi o promotor do pacto com as autoridades.

Segundo os canais de televisão paquistaneses, Mohammed foi hoje a Swat para se reunir com os líderes da insurgência talibã e, em uma tentativa de restabelecer a paz, disse que permanecerá no local até alcançar esse objetivo. EFE igb/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG