Exército paquistanês inicia combates em reduto talibã

Islamabad, 16 jun (EFE).- O Exército paquistanês deu início hoje aos primeiros combates contra insurgentes, na conflituosa região tribal de Waziristão do Sul, depois que o Governo anunciou uma operação em grande escala contra o líder talibã Baitulá Mehsud, informou uma fonte militar, à Agência Efe.

EFE |

"Foram registrados combates em várias áreas durante as últimas horas", admitiu o porta-voz do Exército Basir Haider.

Haider afirmou que é provável que os enfrentamentos tenham causado mortes entre o grupo de insurgentes, na região no noroeste do país, que faz fronteira com o Afeganistão, considerada um refúgio de membros da rede terrorista Al Qaeda e centro do terrorismo em solo paquistanês.

O canal "Geo TV" informou que as forças de segurança fizeram ofensivas contra os fundamentalistas em pelo menos quatro áreas diferentes e atacaram seus esconderijos com artilharia pesada, embora não tenha especificado suas fontes.

Em entrevista coletiva em Islamabad, o porta-voz do Exército, Athar Abbas, declarou hoje que "a fase preparatória" da operação já começou, mas evitou fornecer mais detalhes à imprensa até que a ofensiva esteja melhor planejada.

"O Exército está dando os passos e criando as medidas necessárias, após a decisão do Governo de lançar uma operação contra Baitulá Mehsud", disse Abbas.

O Governo ordenou formalmente no domingo passado que as forças de segurança lançassem uma operação "em grande escala" no Waziristão do Sul, para eliminar Mehsud e derrotar sua rede terrorista.

No fim de semana passado, tanto as Forças Aéreas paquistanesas, quanto um avião espião americano tinham atacado a área de Makeen, considerada um forte núcleo dos insurgentes no Waziristão, e, há mais de uma semana, as tropas realizam ofensivas contra os fundamentalistas, na localidade vizinha de Bannu.

Baitulá Mehsud lidera o movimento Tehrik-e-Talibã Paquistão (TTP), fundado no final de 2007, que envolve diferentes grupos talibãs do país e que se responsabilizou pela maioria dos grandes atentados registrados no país nos últimos anos.

As forças de segurança paquistanesas têm atualmente outra importante área de atuações no vale do Swat, no norte do país, e vários distritos adjacentes, onde realizaram uma grande operação, no final de abril, que matou mais de 1.400 fundamentalistas e uma centena de soldados, segundo dados militares.

O porta-voz Abbas informou hoje que outros 13 insurgentes morreram nas últimas 24 horas nesta frente, 12 deles nas cidades de Bajo Dir e um em Swat, onde foram presos três "terroristas". EFE igb/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG