Exército paquistanês diz ter matado mil militantes em um mês

Por Simon Cameron-Moore TANG KHATTA, Paquistão (Reuters) - As forças paquistanesas mataram até mil militantes islâmicos neste mês em combates na região estratégica de Bajaur, informou um comandante do Exército nesta sexta-feira.

Reuters |

As forças do governo lançaram uma ofensiva em Bajaur em agosto e se envolveram em violentas lutas desde então.

Bajaur é uma das chamadas agências tribais do país, regiões semi-autônomas ao longo da fronteira com o Afeganistão.

A área é uma importante fortaleza dos militantes, dando-lhes acesso às regiões adjacentes, assim como à província afegã de Kunar, disse o general Tariq Khan.

Autoridades dos Estados Unidos dizem que militantes ligados à Al Qaeda e ao Taliban utilizam essas regiões como bases de operação. Conter as crescentes insurgências tem sido um desafio para os norte-americanos.

"Esta é uma área que, se você não controla, pode gerar um efeito ainda maior na região inteira", disse Khan a repórteres, após visita organizada pelo Exército.

Khan estima que 65 por cento do problema da militância possa ser eliminado caso os grupos de Bajaru sejam derrotados.

"Se eles perderem aqui, perdem tudo".

O Paquistão está sob pressão crescente dos Estados Unidos, que querem a eliminação dos centros de militância do noroeste do país.

Os militantes também lançaram bombas em cidades paquistanesas.

Khan disse que entre 500 e mil militantes foram mortos desde o início do mês, quando 62 soldados foram mortos e 112 feridos.

Entre os militantes mortos, estão sete ou oito comandantes do Taliban, além de dois conhecidos militantes egípcios, segundo Khan.

Também foram mortos dois filhos do mais alto comandante do Taliban na região, Faqir Mohammad, que também ficou ferido, segundo Khan.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG