Exército norte-americano diz ter matado 14 militantes em Bagdá

BAGDÁ (Reuters) - As forças norte-americanas mataram 14 militantes em Bagdá, no bairro de Sadr City, fortaleza dos homens leais ao clérigo xiita Moqtada al-Sadr, disse o Exército dos Estados Unidos na sexta-feira. Os militantes foram mortos em vários combates na quinta-feira, disse o Exército em um comunicado.

Reuters |

O comunicado disse que tanques e ataques aéreos foram usados para matar o grupo, que tentava lançar foguetes ou atirar na patrulha norte-americana. Os hospitais de Sadr City disseram ter recebido quatro corpos e 51 feridos. Entre os feridos, há crianças.

As lutas são frequentes em Bagdá desde que o primeiro-ministro Nuri al-Maliki ordenou que uma operação contivesse as milícias, no fim de março.

Centenas de pessoas foram mortas nos combates, que não mostra sinais de que vai se acalmar logo. Trabalhadores dos serviços de ajuda humanitária alertaram para a possibilidade de uma crise humanitária em Sadr City, que abriga 2 milhões de pessoas.

Maliki, que também é xiita, diz que a operação tem o objetivo de desarmar as milícias, mas os seguidores de Sadr a vêem como uma tentativa do governo apoiado pelos EUA de marginalizar o movimento de massa de Sadr antes das eleições locais, em outubro.

Seguido fortemente pelos xiitas mais pobres, Sadr ameaçou no mês passad

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG