Exército mata 10 rebeldes no sul das Filipinas

Combates entre tropas filipinas e rebeldes islâmicos na noite de quinta-feira, horas após o governo rejeitar um acordo de paz, provocaram a morte de dez insurgentes, informaram nesta sexta fontes militares.

AFP |

Rebeldes da Frente Moro Islâmica de Libertação (MILF) emboscaram tropas filipinas na quinta-feira, na cidade de Guindulungan, ilha de Mindanao, revelou o porta-voz do Exército, coronel Julieto Ando.

"Durante os combates, cinco soldados foram feridos e dez rebeldes do MILF morreram", disse à AFP, acrescentando que dois civis também ficaram feridos.

O porta-voz dos rebeldes, Eid Kabalu, disse que os "combates prosseguiam" nesta sexta-feira, com o Exército atacando por terra e ar para "tentar deter o comandante Kato".

O comandante Umbra Kato é um dirigente do MILF que ordenou uma série de ataques a cidades e povoados, há duas semanas, provocando várias mortes e deslocando milhares de pessoas.

A ofensiva começou após a Suprema Corte emitir uma ordem de restrição temporária ao tratado de paz conhecido como Memorando do Acordo sobre Domínios Ancestrais, que deveria acabar com 40 anos de confrontos, que deixaram mais de 120 mil mortos.

A presidente filipina, Gloria Arroyo, renunciou na quinta-feira à aplicação do acordo de autonomia dos rebeldes do MILF e colocou a cabeça de Kato e de outro dirigente rebelde, Abdurahman Macapaar, a prêmio por 10 milhões de pesos (220 mil dólares).

mm/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG