O exército indiano lançou na manhã desta sexta-feira um novo ataque com granadas contra o Hotel Taj Mahal, em Mumbai, para eliminar o último militante ainda entrincheirado. Também nesta sexta-feira, forças de segurança enfrentam um http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2008/11/28/grande_explosao_e_registrada_no_centro_religioso_judaico_de_nariman_house_3095975.html target=_topgrupo de terroristas entrincheirados em um centro religioso judaico.

Quatro granadas foram lançadas na parte do hotel onde o terrorista estaria se escondendo. Houve resposta por parte do militante, que atirou na direção dos jornalistas. Uma câmera da AFP foi ferida na perna por um estilhaço e levada para o hospital.

Mais cedo, a polícia havia informado que "uma quantidade significativa" de explosivos foi encontrada no hotel Taj Mahal, o que pode ter causado "danos maiores".

"Pelo menos um terrorista ou no máximo dois" ainda estavam encurralados no saguão do hotel, mas não há mais reféns no prédio, "até onde nós sabemos", indicou o chefe da polícia do estado de Maharashtra, A.N. Roy, em entrevista à televisão indiana.


Hotel Taj Mahal: turistas protagonizaram cenas de horror e pânico / AP

O Taj Mahal foi um dos dois hotéis de luxo de Mumbai atacados na quarta-feira por extremistas, após uma série de atentados coordenados que mataram pelo menos 125 pessoas.

Hotéis

Nesta sexta-feira, a polícia informou que outro hotel onde hóspedes eram mantidos reféns, o Hotel Oberoi/Trident, já está sob controle .

Durante a ação, pelo menos 93 pessoas, em sua maioria estrangeiros, foram libertadas, mais de 36 horas depois que o hotel foi atacado por extremistas islamitas, informou a polícia, adicionando que 24 corpos foram encontrados no local.

O vice-presidente do grupo hoteleiro Oberoi, S.S. Mukherji, afirmou que havia 200 pessoas presas no hotel.

Centro judaico

Nas primerias horas desta sexta-feira, forças de segurança invadiram o centro judaico de Mumbai onde extremistas mantêm um número desconhecido de reféns.

Imagens da TV indiana mostraram soldados descendo por meio de cordas de um helicóptero que sobrevoava o local e oficiais se aproximando por terra do escritório do centro judaico Chabad Lubavitch.


Turistas tailandeses são libertados de hotel em Mumbai / AP

Segundo o correspondente da BBC David Loyn, os soldados inicialmente atiraram bombas de fumaça para confundir os extremistas que mantêm os reféns no prédio.

Horas antes, uma mulher e uma criança saíram do local, mas ainda não está claro se elas foram libertadas pelos militantes ou se conseguiram escapar.

A criança foi identificada como o filho de dois anos de idade do rabino Gavriel Noach Holzberg, líder da comunidade.

O centro judaico está localizado no complexo comercial e residencial de Nariman, no sul de Mumbai.

Ataques

Os homens armados lançaram ataques em pelo menos sete locais diferentes da cidade indiana no final da noite de quarta-feira (horário local), matando pelo menos 120 pessoas e deixando cerca de 300 feridos.

Usando armas automáticas e granadas, os extremistas atacaram, além dos hotéis e do centro judaico, a principal estação ferroviária da cidade, um hospital e um restaurante freqüentado por turistas.

Leia também:

Leia mais sobre Mumbai

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.