Exército israelense mata dois supostos membros da Jihad Islâmica

Jerusalém, 24 jun (EFE).- O Exército israelense matou dois supostos membros da Jihad Islâmica na noite desta segunda-feira em uma operação conjunta com o Shin Bet (serviço de inteligência interior de Israel) na cidade cisjordaniana de Nablus.

EFE |

"Um dos mortos na troca de fogo é Tariq Abu Ra'ali, de 24 anos e líder da Jihad Islâmica em Nablus. O outro era um homem armado que estava presente na cena", disse à Agência Efe uma porta-voz do Exército.

"Abu Ra'ali dirigia uma equipe da Jihad Islâmica que planejava um ataque com carro-bomba e estava envolvido na fabricação de artefatos explosivos e no recrutamento de terroristas suicidas na região de Jenin", explicou a porta-voz.

"Nenhum membro do Exército ou do Shin Bet ficou ferido na operação", disse a militar, que acrescentou que as forças israelenses encontraram no apartamento de Abu Ra'ali uma "grande quantidade de armas, artefatos explosivos, um fuzil de assalto, munição e outros armamentos".

No entanto, fontes médicas palestinas asseguraram que os dois mortos não eram terroristas, que nenhum deles estava armado e que Abu Ra'ali era um estudante da Faculdade de Artes.

O diretor de Atendimento Médico em Nablus Ghassan Hamedan indicou que "as forças da ocupação assassinaram dois jovens que não estavam armados. Dispararam contra eles e provocando ferimentos por todo o corpo".

A Universidade Nacional de Najah, onde Abu Ra'ali estudava, suspendeu hoje as aulas e anunciaram um dia de luto pela morte do estudante. EFE aca/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG