Exército israelense mata dois palestinos em incidentes separados em Gaza

Um palestino foi morto e outros 17 ficaram feridos nesta quinta-feira por disparos de soldados israelenses quando protestavam perto da fronteira entre a Faixa de Gaza e Israel contra o bloqueio de Gaza, segundo fontes médicas palestinas e testemunhas.

AFP |

"A vítima tinha 22 anos. Entre os feridos, três são jovens de 12 a 15 anos", informou à AFP Muawiyeh Hassanein, chefe dos serviços de emergência na Faixa de Gaza.

Cerca de 2.000 manifestantes tinham se reunido, a pedido do Hamas, para protestar contra o bloqueio de Gaza por Israel depois da tomada de controle deste território pelo movimento radical islâmico, em junho de 2007.

Durante a manifestação, várias centenas de pessoas foram ao ponto de passagem de Karni e atiraram pedras na direção dos soldados israelenses posicionados na fronteira.

O Exército israelense respondeu com bombas de gás lacrimogêneo, e depois com balas verdadeiras, segundo as testemunhas.

Segundo um porta-voz militar israelense, os soldados perceberam a presença de "vários indivíduos armados" entre os manifestantes.

Mais cedo, um caminhão-bomba dirigido por um camicase palestino explodiu perto do terminal de Erez, entre a Faixa de Gaza e o território israelense, a 8 km de Karni, segundo testemunhas palestinas e o Exército israelense.

O ataque foi reivindicado pelas Brigadas Al-Qods, o braço militar da Jihad Islâmica, e por um grupo das Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa, subordinadas ao Fatah.

De acordo com um porta-voz militar israelense, a explosão não provocou vítimas.

Além disso, um palestino de 62 anos, Salem al-Bahabsa, foi morto nesta quinta-feira por disparos de soldados israelenses que conduziam uma operação perto de Burreij, no centro da Faixa de Gaza, segundo os serviços de emergência palestinos.

sa/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG