Exército israelense deverá fazer consultas jurídicas durante suas operações

O general Gaby Ashkenazi, chefe do Estado-Maior do Exército israelense, ordenou a suas tropas que consultem juristas durante suas operações militares e não apenas na etapa de planejamento, informou o jornal Haaretz.

AFP |

O jornal informa que Ashkenazi segue os conselhos do advogado-geral do Exército, Avishai Mendelbilt, apesar das reticências de vários membros de seu Estado-Maior.

O general ordenou, no entanto, que essas consultas jurídicas aconteçam apenas em nível de comando de divisão, para evitar pertubações no desenvolvimento dos combates.

Indagado pela AFP, um porta-voz militar não quis desmentir ou confirmar as informações.

O Estado hebeu enfrenta uma onda de críticas pela ofensiva que lançou há um ano contra Gaza, na qual morreram centenas de civis palestinos, e teme que os dirigentes políticos e os oficiais desta operação sejam processados pela justiça internacional.

Um relatório da comissão de direitos humanos da ONU responsabilizou o Exército hebreu por crimes de guerra e possíveis crimes contra a humanidade durante a ofensiva em Gaza.

ChW/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG