Exército israelense deixa totalmente Faixa de Gaza

JERUSALÉM - Israel anunciou que completou nesta quarta-feira a retirada de tropas da Faixa de Gaza, iniciando o relacionamento com o novo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deixando os territórios palestinos devastados por uma ofensiva de 22 dias.

Redação com agências internacionais |

"Nessa manhã, os últimos soldados das forças de defesa israelenses deixaram a Faixa de Gaza e as forças estão do lado de fora preparadas para quaisquer ocorrência", disse um porta-voz do Exército 13 horas depois da posse de Obama.

Israel retirou a maior parte de suas tropas antes mesmo da posse de Obama na terça-feira, em uma medida que analistas viram como uma tentativa de evitar tensões com o novo governo dos EUA.

O antecessor de Obama, George W. Bush, apoiou o direito de Israel defender-se contra os foguetes disparados da Faixa de Gaza por integrantes do grupo Hamas. Antes de assumir a Presidência, Obama evitou falar em detalhes sobre a crise em Gaza.

Os ataques israelenses, lançados em 27 de dezembro, mataram cerca de 1.300 palestinos e deixaram milhares desabrigados. Autoridades médicas de Gaza disseram que há pelo menos 700 civis entre os mortos palestinos. Israel diz que centenas de militantes morreram.

Dez soldados israelenses e três civis atingidos por ataques de foguetes também morreram no conflito.

Visita da ONU

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, reuniu-se com o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, antes de viajar para Gaza para conferir pessoalmente o impacto da operação militar israelense, que durou três semanas.

De acordo com o porta-voz de Ban Ki-moon, Ahmed Fauzi, o representante da ONU queria expressar solidariedade às pessoas de Gaza em seu sofrimento, e aos funcionários da organização que trabalham no território.

A ONU advertiu que a reconstrução da Faixa de Gaza vai custar bilhões de dólares. Segundo a organização, 50 mil pessoas estão desabrigadas e 400 mil, sem água.

O correspondente da BBC no território Christian Fraser, disse que as pessoas estão buscando sob os escombros de suas casas os corpos de pessoas mortas no ataque israelense.

Nos últimos dois dias eles recuperaram 114 cadáveres.

O diretor de operações da ONU em Gaza, Unrwa, John Ging, disse à BBC que as armas usadas pelo Exército israelense na operação causaram ferimentos "horrendos" em crianças.

"Não são arranhões ou ferimentos a bala, estas crianças foram atingidas por fragmentos de bombas na maioria das vezes", disse Ging.

*Com informações da Efe, Reuters e BBC Brasil

Leia também

Vídeos

Opinião

Leia mais sobre: Faixa de Gaza

    Leia tudo sobre: faixa de gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG