Exército iraquiano ignorou conselhos dos EUA na campanha de Basra (Petraeus)

O primeiro-ministro iraquiano, Nuri al-Maliki, não levou em consideração a assessoria dos Estados Unidos, ao lançar uma campanha em Basra em março, mergulhando as tropas iraquianas em um combate sem preparação adequada, disse nesta sexta-feira o comandante americano no Iraque, David Petraeus.

AFP |

O general Petraeus afirmou que responsáveis dos EUA e do Iraque desenvolveram um plano mais lento para restaurar a ordem nessa estratégica cidade portuária, em um período de vários meses.

Depois de sua apresentação em 21 de março, porém, o plano foi deixado de lado pelo assessor de Segurança Nacional do Iraque, Muwaffaq al-Rubaie, porque Al-Maliki considerava que não atacava a situação de Basra rápido o suficiente, disse Petraeus à imprensa.

"Então, fomos vê-lo e nos reunimos com ele (Al-Maliki), que nos explicou o que havia determinado: a mobilização de duas brigadas" e de unidades de elite que deviam se mobilizar em 36 horas, declarou Petraeus, em Washington.

Os confrontos foram controlados logo e encerraram em 1º de abril, depois que o Irã fez ambos os grupos se retirarem.

jm/tt/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG