Nova Délhi, 15 ago (EFE).- O Exército da Índia denunciou hoje que soldados do Paquistão dispararam morteiros em dois pontos da fronteira entre os países, justamente no dia em que os indianos celebram o 61º aniversário de sua independência.

Segundo fonte militar citada pela agência de notícias "PTI", um dos ataques ocorreu na localidade de Mandi, no distrito de Poonch, perto da "Linha de Controle" (LoC) que divide a região da Caxemira entre os dois países e onde está em vigor um cessar-fogo desde 2003.

A fonte declarou que as forças indianas também foram alvo de fogo paquistanês em uma região da área caxemiriana de Jammu, que limita com o Punjab paquistanês e onde está estabelecida uma fronteira reconhecida internacionalmente, ao contrário do que ocorre na linha que separa os dois lados da Caxemira, localizada mais ao norte.

A fonte não informou sobre vítimas indianas.

As relações entre Índia e Paquistão não passam por um bom momento, sobretudo após o atentado contra a embaixada indiana em Cabul, o qual Nova Délhi acredita que contou com a participação do serviço secreto paquistanês (ISI).

O primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, disse hoje, em sua mensagem à nação por ocasião do aniversário da independência, que esse atentado "obscureceu" os esforços do gigante asiático de "normalizar" suas relações com o Paquistão e trazer paz "duradoura" ao sul da Ásia. EFE amp/fr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.