Exército filipino mata 4 separatistas islâmicos no sul do país

Zamboanga (Filipinas), 30 out (EFE).- Pelo menos quatro supostos membros da Frente Moura de Libertação Islâmica (FMLI) morreram em um ataque do Exército filipino a uma base dos rebeldes no sul do arquipélago, informaram hoje fontes militares.

EFE |

O ataque ocorreu na terça-feira, em uma área remota da província de Maguindanao, recuperada pelas tropas após várias horas de combate, segundo o tenente-coronel Julieto Ando, que acrescentou que um soldado ficou ferido.

Na véspera, até 16 guerrilheiros e um militar perderam a vida em outro choque na mesma província, próxima à localidade de Mamasapano, a 860 quilômetros ao sul da capital Manila.

Desde agosto, quando a Corte Suprema suspendeu e, mais tarde, anulou um memorando de entendimento entre o Governo e o FMLI, o sul de Mindanao vive uma onda de violência com mais de 300 mortos, a maioria civis, e cerca de 500 mil de refugiados.

Fundado em 1984, o FMLI é a maior organização separatista das Filipinas, com mais de 12 mil integrantes, que tentam fundar um Estado islâmico independente no sul do país, dominado por sultanatos malaios.

Com conflitos iniciados 20 anos anteriores à fundação desta guerrilha, quase quatro décadas de conflito étnico, religioso e tribal já deixaram 120 mil mortos e cerca de 2 milhões de refugiados em uma das áreas mais pobres do arquipélago. EFE rp-csm/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG