Islamabad, 30 mai (EFE).- O Exército paquistanês disse hoje que reassumiu o controle do principal povoado do Vale do Swat dentro da ofensiva que promove contra os talibãs no norte do país, onde 25 insurgentes e um soldado morreram nas últimas horas.

Em entrevista coletiva televisionada, o porta-voz do Exército, Athar Abbas, afirmou que as tropas "retomaram o controle total de Mingora", uma semana depois de terem lançado uma operação para expulsar os rebeldes da localidade.

Abbas disse que, no momento, os soldados ainda enfrentam alguns focos de resistência nos arredores da cidade.

Na opinião dos analistas, retomar o controle de Mingora - onde vivem cerca de 300 mil pessoas, a maioria das quais fugiu para lugares mais seguros - é fundamental para conter o avanço dos talibãs paquistaneses.

Segundo o porta-voz, grande parte das infraestruturas da localidade foi destruída durante os combates. Mas várias equipes de médicos e engenheiros foram enviadas à região para socorrer a população e restabelecer a distribuição de luz, água e gás.

Abbas também afirmou que o controle sobre Mingora foi retomado graças à ajuda dos habitantes da cidade, que ajudaram na identificação de vários fundamentalistas.

A maioria dos líderes talibãs no Vale do Swat continua em paradeiro desconhecido. Por isso, o Governo da província da Fronteira do Noroeste, onde fica o rio Swat, anunciou que pagará recompensas a quem der informações que levem à captura dos rebeldes.

As autoridades regionais estão oferecendo 50 milhões de rúpias (US$ 600 mil) pelo principal chefe dos talibãs no Swat, o mulá Fazlullah, e até 10 milhões de rúpias (US$ 125 mil) por cerca de 20 líderes menores, entre os quais está o porta-voz dos insurgentes, Muslim Khan, que até pouco tempo atrás concedia entrevistas à imprensa quase todos os dias.

Ao explicar a operação no norte do país, Abbas disse que as tropas avançaram sobre a localidade de Barein, chegaram a Kalam e seguiram com sua ofensiva em Peochar, reduto do mulá Fazllulah. Os confrontos na região do Swat terminaram com a morte de um soldado, acrescentou.

Já no distrito adjacente de Dir, 16 talibãs morreram ao enfrentarem os militares, que, em Buner, a apenas 100 quilômetros da capital Islamabad, tiraram a vida de mais oito rebeldes, dos quais dois eram líderes de menor importância.

Desde o fim de abril, a ofensiva do Exército contra os talibãs no norte do Paquistão matou mais de 1,2 mil fundamentalistas e cerca de 70 soldados, segundo cálculos militares.

Aproximadamente 2,4 milhões de civis se viram obrigados a abandonar suas casas devido ao conflito no país. Mas só uma pequena parte deles buscou abrigo em campos de deslocados. O restante recorre a casas de parentes ou aluga imóveis e quartos, segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur).

As autoridades calculam que dezenas de milhares de pessoas estão presas na região do Swat, onde o Exército voltou a pedir à população que abandone algumas áreas, como a localidade de Charbagh. EFE igb/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.