Exército enganou guerrilheiros das Farc, diz ministro

Bogotá, 2 jul (EFE).- O Exército colombiano se infiltrou na cúpula das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) para libertar 15 reféns da guerrilha, entre eles Ingrid Betancourt, disse hoje o ministro da Defesa do país, Juan Manuel Santos.

EFE |

"Estamos muito contentes, muito alegres, este é um grande golpe, que deve alegrar a todos e ao mundo inteiro", expressou o ministro à imprensa.

Santos deu um caráter de vitória ao resgate "são e salvo" e sem um único tiro disparado da ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt - também de nacionalidade francesa -, de três cidadãos americanos e 11 militares e policiais nos departamentos (estados) do Guaviare (sul) e Vaupés (sudeste).

Santos acrescentou que parte dos reféns das Farc foi libertada entre as cidades selváticas de La Paz e Tomachipán (Guaviare), cerca de 400 quilômetros ao sul da capital Bogotá.

Explicou que militares infiltrados tinham acertado com o "comandante César" das Farc supostamente levar os reféns em helicóptero até onde se encontrava "Alfonso Cano", líder máximo da guerrilha desde maio último, após a morte do fundador do grupo, Pedro Antonio Marín, conhecido como "Manuel Marulanda" ou "Tirofijo".

"Tínhamos um infiltrado que disse ao 'comandante César' que subiria um pouco (ao helicóptero) para dar mais confiança, para que o líder sentisse que a operação era válida e genuína, e assim aconteceu. Neutralizamos ele já estando dentro do aparelho", completou Santos.

"Sinto uma imensa alegria, admiração por nossos homens da inteligência do Exército, por nossos comandantes e um imenso orgulho de ser colombiano", expressou.

Além de Betancourt, foram resgatados nessa operação os americanos Thomas Howes, Keith Stansell e Marc Gonsalves, assim como 11 policiais e militares.

Os libertados, que estavam havia mais de seis anos em cativeiro, viajam agora em helicóptero rumo à base aérea de Tolemaida, situada 160 quilômetros a sudeste de Bogotá, onde serão saudados pelo presidente Álvaro Uribe. EFE gta/fr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG