Exército dos EUA entrega controle sobre milícias sunitas ao Governo iraquiano

Bagdá, 1 out (EFE).- O Governo iraquiano começou hoje a assumir o controle sobre os Conselhos de Salvação, milícias de voluntários sunitas que lutam contra a Al Qaeda e que até agora eram financiadas e supervisionadas pelo Exército dos Estados Unidos.

EFE |

Com a transferência do controle sobre os Conselhos de Salvação, o Executivo iraquiano do primeiro-ministro Nouri al-Maliki ficará responsável pelos salários de mais de 54 mil milicianos, na primeira fase da integração, anunciou, em comunicado, o tenente-coronel do Exército dos EUA Jeffrey Kulmayer.

Não foram oferecidos números totais sobre o número de milicianos, mas calcula-se que há cerca de 110 mil membros dos Conselhos de Salvação no Iraque, principalmente na província de Al-Anbar, no oeste do país, que já foi a mais castigada pelo terrorismo da Al Qaeda.

Estas milícias tribais foram criadas em outubro de 2006 como parte da estratégia do então comandante das forças americanas no Iraque, David Petraeus, na luta contra os insurgentes.

Os EUA planejavam transferir a responsabilidade sobre as milícias sunitas a Bagdá em julho de 2009, mas o Governo iraquiano decidiu assumir antes dessa data.

O primeiro Conselho de Salvação nasceu em Al-Anbar e era dirigido por Abdul Sattar Abu Risha, líder tribal, que morreu em um ataque suicida da Al Qaeda no ano passado.

Segundo o Executivo iraquiano anunciou no mês passado, 20% dos integrantes destas milícias serão incorporados à Polícia e às forças de segurança iraquianas, enquanto os outros serão realocados em postos de trabalho civis.

No entanto, estas medidas não agradaram a muitos dos milicianos, que criticaram a atitude governamental em relação a eles.

Ahmed Mohammed, líder de um Conselho de Salvação em Tarmiya, 30 quilômetros ao norte de Bagdá, disse à Agência Efe que "o prometido pelo Governo aos combatentes é muito pouco em comparação a todos os sacrifícios que eles fizeram para devolver a estabilidade a suas cidades". EFE ah/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG