Exército do Paquistão mata ao menos 50 insurgentes

Islamabad, 23 set (EFE).- O Exército do Paquistão afirmou hoje ter matado mais de 50 fundamentalistas em bombardeios aéreos e combates nos últimos dois dias no conflituoso noroeste do país.

EFE |

O porta-voz das Forças Armadas Murad Khan disse à Agência Efe que as forças de segurança iniciaram nesta segunda-feira uma "operação de rastreamento e cerco aos insurgentes" na localidade de Darra Adam Khel e em suas proximidades.

A cidade, situada na conflituosa Província da Fronteira do Noroeste, está muito perto da capital regional, Peshawar, e do adjacente cinturão tribal, fronteiriço com o Afeganistão.

Darra Adam Khel é considerado um dos maiores núcleos do tráfico de armas do Paquistão.

Além disso, o porta-voz acrescentou que a operação, na qual foram utilizados helicópteros de combate e artilharia pesada, foi um sucesso e permitiu recuperar o controle de um importante túnel da região.

Segundo a fonte, um soldado morreu nos enfrentamentos.

As forças de segurança se concentram atualmente em mais duas operações contra a insurgência no norte do país: uma no vale de Swat e outra na demarcação tribal de Bajaur, na fronteira com o Afeganistão.

O saldo oficial de mortos nessas operações já é de mais de mil, embora essa informação careça de confirmação independente, pois os jornalistas são muitas vezes impedidos de ter acesso às áreas conflituosas ou a outras fontes de informação.

Fontes dos serviços de inteligência consultadas pela Efe afirmam que o número real de extremistas mortos é muito menor, enquanto líderes tribais das regiões afetadas acusam o Exército de matar um grande número de civis em suas ações.

A Província da Fronteira Noroeste e o cinturão tribal, território que nunca esteve sob controle efetivo do Estado paquistanês, são palco de constantes episódios de violência. EFE igb/wr/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG