Exército do Paquistão confirma prisão de comandante do Taliban

Por Sheree Sardar ISLAMABAD (Reuters) - Os militares paquistaneses confirmaram nesta quarta-feira a prisão do principal comandante militar do Taliban afegão, mulá Abdul Ghani Baradar.

Reuters |

"Na conclusão de um detalhado procedimento de identificação, foi confirmado que uma das pessoas presas é o mulá Baradar", disseram os militares, alegando que por razões de segurança não poderiam informar detalhes como o local da captura.

Na véspera, funcionários dos EUA e do Paquistão disseram, sob anonimato, que Baradar havia sido preso numa operação conjunta dos dois países na cidade portuária de Karachi, no sul do Paquistão

Os EUA, que lideram uma ofensiva da Otan contra o Taliban no Afeganistão, quer ajuda do Paquistão para enfrentar a militância islâmica na região da fronteira. Mas analistas e funcionários dos EUA disseram que ainda é cedo para dizer se a cooperação paquistanesa no caso de Baradar vai se repetir na captura de outros militantes procurados.

Na terça-feira, o ministro paquistanês do Interior, Rehman Malik, disse que não confirmaria a prisão de Baradar, mas que muita gente havia fugido das forças da Otan no Afeganistão, e vários militantes haviam sido apanhados no Paquistão. Ele negou que tivesse ocorrido qualquer operação conjunta EUA-Paquistão.

O governo paquistanês é aliado dos EUA, mas há um profundo antiamericanismo na opinião pública.

Uma fonte paquistanesa de inteligência disse que os agentes estavam procurando Baradar em Quetta, no sudoeste paquistanês, onde os EUA dizem que fica a sede do conselho de liderança do Taliban.

"Sentindo que poderia ser preso, ele de alguma forma escapou de Quetta para Karachi, talvez disfarçado. Foi aí que o prendemos, cerca de quatro dias atrás", disse essa fonte. "Ele está conosco e sendo interrogado."

De acordo com essa fonte, "é claro" que houve envolvimento dos EUA. "Temos esse tipo de cooperação", acrescentou.

A prisão de Baradar ocorre em meio a uma nova tentativa de negociações de paz entre o governo do Afeganistão e o Taliban.

(Reportagem adicional de Zeeshan Haider)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG