Exército de Israel reconhece erros em ataque contra flotilha

Nove pessoas morreram no ataque contra barcos que tentavam furar bloqueio à Faixa de Gaza em maio deste ano

AFP |

O exército israelense reconheceu nesta segunda-feira "erros em um nível relativamente superior" no planejamento e execução do ataque contra a frota humanitária para Gaza , que causou, no final de maio, nove mortos, segundo conclusões de sua própria investigação interna.

AP
Imagens amadoras divulgadas por grupo que levava ajuda humanitária até a Faixa de Gaza mostram soldados israelenses a bordo de um dos barcos
No entanto, a investigação do exército não mostrou negligências que pudessem justificar processos judiciais. "Foram cometidos erros no processo de decisão, inclusive em um nível relativamente superior, que contribuíram para um resultado que não havíamos desejado", explicou aos jornalistas o general de reserva, Giora Eiland.

"Durante essa investigação, descobrimos que havia erros profissionais que dizem respeito à coleta de informações e ao processo de decisão", afirmou o general.

Eiland foi encarregado no mês passado de investigar sobre o desenvolvimento da operação armada israelense, em 31 de maio passado, contra uma frota de ajuda internacional que tentava romper o bloqueio da Faixa de Gaza, e de tirar conclusões. Os enfrentamentos deixaeram nove militantes pró-palestinos turcos mortos , o que provocou muitos protestos em todo o mundo.

Depois do incidente de 31 de maio, Israel aliviou o bloqueio contra Gaza, em vigor desde que o movimento islamita palestino Hamas assumiu o controle do território em junho de 2007.

    Leia tudo sobre: IsraelFaixa de Gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG