Dacar, 23 dez (EFE).- O Exército da Guiné anunciou hoje a dissolução do Governo, poucas horas depois da morte do presidente Lansana Conté.

O anúncio aconteceu em um comunicado no qual também se declara a suspensão da Constituição vigente no país, informaram rádios regionais captadas em Dacar.

Embora o documento não esteja assinado, um capitão do Exército, Moussa Babisse Camara, leu hoje o comunicado no rádio, no qual informou "a criação de um conselho nacional para o desenvolvimento e a democracia e a próxima nomeação de um novo primeiro-ministro" que verá suas competências ampliadas.

O golpe de Estado dos militares acontece apesar de o presidente da Assembléia Nacional, Aboubacar Somparé, ter pedido ontem à população que mantivesse a calma.

Somparé ainda solicitou ao presidente da Suprema Corte que constate oficialmente a vacância do poder e que fizesse a Constituição ser aplicada.

De acordo com a Constituição, o presidente da Assembléia Nacional assume o poder de forma interina e tem de convocar eleições presidenciais em um prazo de 60 dias.

No entanto, parece que a história se repete na Guiné com este novo golpe de Estado, já que Conté chegou ao poder da mesma forma em 3 de abril de 1984, após a morte do primeiro presidente do país, Ahmed Sekou Touré. EFE st/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.