Exército da África do Sul começa a agir contra violência xenofóbica

Johanesburgo, 22 mai (EFE) - O Exército da África do Sul começou hoje a apoiar a Polícia local na luta contra a violência xenófoba que assola o país desde a semana passada e que já deixou mais de 40 mortos, segundo fontes oficiais.

EFE |

O ministro da Segurança sul-africano, Charles Nqakula, disse em coletiva de imprensa que as tropas do Exército participaram de duas operações realizadas hoje em dois bairros pobres no leste de Johanesburgo.

A porta-voz da Polícia, Sally de Beers, disse que a operação em um dos bairros "foi extremamente bem-sucedida e resultou na detenção de 28 pessoas" e na apreensão de "150 quilos de maconha e de armas, munição e mercadorias possivelmente roubadas".

Segundo fontes do Ministério da Defesa, os militares sul-africanos, além de facilitar a tarefa policial montando um perímetro de segurança, também darão apoio com helicópteros.

Dados oficiais apontam que até hoje já foram registrados 466 atos de violência xenófobica no país, a maioria contra cidadãos do Zimbábue e de Moçambique que moram em Johanesburgo.

O ministro de Inteligência sul-africano, Ronald Kasrils, disse que as autoridades investigam também a possibilidade dos atos de violência xenofóbica serem incentivados por alguém com interesses políticos, já que as eleições presidenciais de 2009 estão se aproximando.

"Não estou acusando nenhum partido político concretamente", completou o ministro. EFE hc/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG