Exército colombiano mata braço direito de líder das Farc

Bogotá, 4 mar (EFE).- O Exército colombiano matou no dia 27 de fevereiro a guerrilheira Mariana Paz, considerada o braço direito do chefe militar das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Mono Jojoy, informaram hoje fontes oficiais.

EFE |

O general Oscar González Peña, comandante do Exército, e o diretor regional do Corpo Técnico de Investigações, Carlos Restrepo, indicaram em entrevista coletiva que a rebelde das Farc foi morta na sexta-feira passada na região de Sumapaz, em Cundinamarca.

González assegurou que a insurgente, que utilizava os nomes de Martha Isabel Ardila Castellanos e María Fernanda Díaz Castaño, era a única mulher dentro dos quadros superiores de comando das Farc, formados por aproximadamente 30 pessoas.

O Exército desenvolveu uma operação em Cundinamarca contra um reduto das Farc na qual morreram 11 rebeldes e outros 11 foram detidos, entre eles Bernardo Mosquera Machado, conhecido como "Negro Antonio", considerado um dos principais sequestradores dentro da organização, disse o oficial.

González assinalou que "Mariana Paz" era considerada "a chefe de comunicações" deste Bloco Oriental das Farc liderado Jorge Briceño, conhecido como "Mono Jojoy", membro do secretariado e do comando superior dessa organização insurgente.

A rebelde estava no comando da emissora clandestina de rádio "Voz da Resistência" e participou dos fracassados diálogos de paz realizados pelas Farc entre 1999 e 2002 com o Governo do ex-presidente da Colômbia Andrés Pastrana. EFE gta/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG