Exército colombiano espera ordem para facilitar libertação de reféns

Bogotá, 29 jan (EFE).- As Forças Militares da Colômbia esperam um sinal para ordenar a suspensão de operações na zona na qual as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) iniciará no domingo o processo de libertação de seis sequestrados, disse hoje o ministro da Defesa, Juan Manuel Santos.

EFE |

O ministro destacou que já conhece a "área geral" onde as Farc entregarão, em várias etapas, os reféns à senadora de oposição Piedad Córdoba e aos delegados do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), em uma missão da qual participarão aeronaves fornecidas pelo Brasil.

Santos, que se reuniu com técnicos brasileiros não identificados e com os chefes militares colombianos, reiterou "a total disposição do Governo nacional para facilitar a libertação".

O ministro acrescentou que o comandante das Forças Militares, general Fredy Padilla de León, está esperando para ser avisado sobre quando deve suspender os dispositivos.

"Toda a logística já está pronta. Só estamos esperando que nos digam a área da libertação, para que o general Padilla dê a ordem do fim de operações nessas regiões e tempos de nos coordenarmos", disse Santos aos jornalistas.

Ele afirmou que já foi definido por onde os helicópteros entrarão em território colombiano, onde podem pernoitar e se abastecer de combustível, e quais aeroportos podem utilizar.

"São dois helicópteros Cougar do Exército brasileiro, mas com logos (insígnias) da Cruz Vermelha Internacional", explicou.

O embaixador do Brasil em Bogotá, Valdemar Carneiro, agradeceu a Santos na quarta-feira à noite pelo tratamento recebido por parte das autoridades militares colombianas para o sucesso da missão humanitária, segundo disse o ministro.

Enquanto isso, o general destacou que, por solicitação do Governo brasileiro, será disponibilizado um helicóptero Black Hawk de resgate que ficará de reserva caso haja algum problema técnico ou emergência.

Já Córdoba, que assegurou ter as coordenadas do local de libertação e os nomes dos sequestrados que serão soltos, anunciou que viajará ao Brasil no fim de semana para iniciar a operação.

"Imaginamos que, no próximo domingo, (os policiais) vão ser os primeiros libertados", expressou Restrepo.

Restrepo explicou que "são três operações diferentes, em três dias diferentes", e acrescentou que contam "com dois helicópteros do Brasil que vão ser os mesmos que serão utilizados nas ações". EFE gta/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG