Exército cingalês encontra corpos de vários líderes da guerrilha tâmil

Nova Délhi, 18 mai (EFE).- O Exército do Sri Lanka encontrou hoje o cadáver do filho primogênito do máximo líder da guerrilha Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE) e recuperou também os corpos de outros três dirigentes da organização, informou à Agência Efe uma fonte oficial.

EFE |

"Encontramos quatro cadáveres: um deles é o primogênito de V.

Prabhakaran (líder supremo da guerrilha), Charles Anthony", disse à Efe por telefone o diretor-geral de meios de Defesa, Lakshman Hulugalle.

Segundo informou o Ministério da Defesa em comunicado, o corpo foi achado após uma tentativa sem sucesso dos guerrilheiros dos LTTE de tirar da região o filho do líder máximo da guerrilha, Vellupillai Prabhakaran.

Charles Anthony liderava o departamento de Informação e Tecnologia da guerrilha, que reconheceu este domingo sua derrota e se encontra rodeada pelo Exército em um quadrado de terreno de apenas 100 metros de lado no nordeste do Sri Lanka.

Em suas tarefas de limpeza, os soldados encontraram também os corpos de três dirigentes dos LTTE, entre eles o máximo encarregado de assuntos políticos, B. Nadesan, um dos guerrilheiros que se encarregava de conceder entrevistas aos meios de imprensa.

Os outros dois dirigentes são S. Puleedevan, responsável pela Secretaria de Paz da guerrilha (LTTEPS), e outro conhecido como "Ramesh", que segundo Hulugalle era um dos membros da cúpula militar que "lutava na frente".

Encurralada em menos de um quilômetro quadrado no povoado de Vellamullivaikkal, a guerrilha tâmil declarou este domingo que "a batalha chegou a seu amargo final" e anunciou uma cessação unilateral dos combates.

Horas antes, o Governo tinha anunciado de forma triunfalista o "resgate" dos 50 mil civis que continuavam nas últimas semanas em área guerrilheira, que foram vítimas de múltiplos bombardeios e tiroteios durante os combates.

A grande pergunta a estas horas continua sendo o paradeiro do primeiro líder da organização armada, Vellupillai Prabhakaran, que carrega pendurada ao pescoço há décadas uma pílula de cianureto para evitar ser capturado com vida.

"Ainda não há nada confirmado em relação ao que aconteceu com Prabhakaran. Resta um pequeno esconderijo nas mãos da guerrilha e esperamos agir nas próximas horas", disse à Efe Hulugalle.

Segundo o porta-voz, o Exército não sabe ainda quantos guerrilheiros restam nessa pequena área, mas neste domingo foram registrados alguns combates e tiroteios. EFE daa/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG