Exército chinês busca milhares de desaparecidos

Apesar das chuvas torrenciais e das avenidas intransitáveis, os soldados chineses se esforçavam nesta quarta-feira para localizar sobreviventes entre os edifícios reduzidos a escombros pelo maior terremoto registrado na China em mais de 30 anos.

AFP |

O balanço oficial de vítimas mais recente, divulgado na terça-feira à noite, supera os 12.000 mortos na província de Sichuan (sudoeste), afetada na segunda-feira por um tremor de 7,9 graus na escala Richter.

As perdas humanas não param de aumentar à medida que chegam informações das zonas mais afastadas.

Segundo a polícia militar, citada pela imprensa oficial, muitas cidades próximas a Wenchuan, epicentro do terremoto, ficaram completamente arrasadas.

"Não existem mais casas em várias cidades e subúrbios (do distrito de Wenchuan). Tudo foi arrasado", afirmou Wang Yi, chefe de uma unidade da polícia militar.

Somente na cidade de Yingxiu, que fica no distrito montanhoso de Wenchuan, as autoridades locais anunciaram nesta quarta-feira que 2.300 pessoas de um total de superior a 10.000 sobreviveram à catástrofe, o que acrescenta pelo menos 7.000 mortos à longa lista de vítimas.

"A situação é pior do que temíamos", declarou uma autoridade local ao chegar à localidade, depois de escalar a montanha.

afp/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG