Exercício pesado reduz risco de câncer de mama, diz estudo

Uma nova pesquisa americana afirma que exercícios físicos vigorosos podem proteger mulheres de peso normal que já passaram pela menopausa contra o desenvolvimento de câncer de mama. O estudo do Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos diz que atividades regulares como corrida, ginástica aeróbica ou mesmo trabalho doméstico pesado estão associadas a uma redução de 30% do risco de desenvolvimento da doença.

BBC Brasil |

Mas, segundo os cientistas, a atividade física pesada só protege mulheres que não estão acima do peso ou obesas, e exercícios leves não têm o mesmo efeito.

"Neste grupo de mulheres que passaram pela menopausa, a redução do risco de câncer de mama parece estar limitada a formas mais vigorosas de atividade física", afirmou o chefe da pesquisa Michael Leitzmann.

"Nossas descobertas sugerem que a atividade física age como apoio a mecanismos biológicos que são independentes do controle de peso do corpo", acrescentou.

O estudo de 11 anos analisou 32 mil mulheres e foi publicado na revista Breast Cancer Research.

Faxina
As mulheres avaliadas na pesquisa tiveram que responder a um questionário detalhado sobre o quanto e que tipo de atividade física faziam.

Os pesquisadores consideraram exercício vigoroso tarefas domésticas pesadas como esfregar o chão, lavar janelas, cavar no jardim ou cortar madeira.

Entre as atividades esportivas, as mais vigorosas foram corrida, caminhada rápida, tênis competitivo, aeróbica, bicicleta ao ar livre e dança rápida.

As atividades consideradas mais leves incluíam passar aspirador de pó, lavar roupas, pintura e jardinagem geral. Entre os esportes e exercícios leves estavam caminhada, tênis recreativo e boliche.

Inicialmente, os números indicaram uma redução do risco de câncer de mama muito pequena associada a atividades físicas.

Mas, quando os pesquisadores analisaram os números apenas em mulheres com peso normal, a associação foi bem mais forte.

Para Henry Scowcroft, gerente de informações científicas da organização britânica Câncer Research UK, o estudo adiciona mais provas de que "o câncer de mama é menos comum entre mulheres com um estilo de vida mais ativo, que já passaram pela menopausa".

"Apesar de esta pesquisa sugerir que atividades vigorosas beneficiam mais, vários outros estudos sugerem que atividades menos intensas podem também beneficiar no longo prazo", afirmou.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG