Exercício da Força Aérea causa pânico em Manhattan

Um dos Boeing 747 utilizados pela Força Aérea para transportar o presidente dos Estados Unidos, escoltado por dois caças F-16, causou pânico nesta segunda-feira ao sobrevoar Manhattan à baixa altitude perto do Marco Zero.

AFP |

AP
Imagem de celular mostra avião voando em Nova York

Imagem de celular mostra avião voando em Nova York

Segundo testemunhas e uma porta-voz da polícia, "as pessoas sentiram pânico"; vários escritórios foram esvaziados até ser divulgado que se tratava de um exercício aéreo.

A agência de aviação federal americana (FAA) esclareceu, através de seu porta-voz Jim Peters, que se tratava de uma manobra destinada a tirar fotografias aéreas.

Os três aparelhos sobrevoaram em círculo o rio Hudson na manhã desta segunda-feira. "A manobra foi coordenada de antemão com a Força Aérea e as autoridades do Estado e da cidade", esclareceu Peters.

Os moradores, no entanto, não ficaram satisfeitos. "Muito divertido! uma sessão de fotos sobre a qual ninguém tinha conhecimento", criticou Jurgens Bauer, operador financeiro com escritório situado perto do Marco Zero. "Eu estava aqui no 11/9 e vi milhares de pessoas morrendo. Não tem cabimento que façam exercícios sem nos avisar", comentou, furioso.

Horas depois, a Casa Branca se desculpou, através de comunicado assinado por seu diretor de assuntos militares, Louis Caldera. As autoridades também esclareceram que Obama não estava no avião.

Leia mais sobre avião



    Leia tudo sobre: avião

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG