Ex-embaixador argentino aponta corrupção em negócios com Caracas

BUENOS AIRES (Reuters) - O ex-embaixador argentino em Caracas Eduardo Sadous denunciou à Justiça que empresários do seu país estariam pagando até 20 por cento de suborno às autoridades para fazerem negócios na Venezuela, disse a imprensa argentina na sexta-feira. Em sua denúncia, o diplomata afirmou que vários empresários argentinos lhe comentaram sobre pedidos de comissões ilegais para facilitar negócios incluídos sob acordos firmados entre o ex-presidente Néstor Kirchner (2003-07) e o governo venezuelano de Hugo Chávez.

Reuters |

Sadous, que dirigiu a embaixada em Caracas de 2002 a 2005, depôs nesta semana como testemunha no processo. Ele afirmou que as comissões de 15 a 20 por cento eram pagas a funcionários do Ministério do Planejamento argentino.

De acordo com o jornal La Nación, o ministro da pasta, Julio de Vido, qualificou as acusações de "infâmia".

Também segundo o La Nación, Sadous disse à Justiça que os subornos "eram do lado argentino, (os empresários) falavam do Ministério do Planejamento". "Uma vez autorizado pelo ministério, suponho que se efetuava (o pagamento) através de uma transferência."

Argentina e Venezuela estreitaram fortemente seus laços diplomáticos e comerciais a partir de 2003, refletindo a boa sintonia política entre seus governos.

(Reportagem de Walter Bianchi)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG