Ex-editor de tabloide britânico News of the World é solto sob fiança

Acusado de interceptar comunicações e corrupção, Stuart Kuttner permanecerá em liberdade pagando fiança até o fim do mês

iG São Paulo |

Stuart Kuttner , ex-editor do tabloide News of the World preso nesta terça-feira, foi solto sob fiança acusado de envolvimento no escândalo de escutas ilegais e corrupção por supostos pagamentos indevidos a agentes policiais, segundo a Scotland Yard.

AP
Stuart Kuttner, 71 anos, foi detido e solto nesta terça-feira
A polícia britânica informou que Kuttner permanecerá em liberdade pagando uma fiança até o fim do mês "à espera de mais investigações", após ser interrogado em uma delegacia do norte da capital. O ex-editor, de 71 anos, renunciou ao seu cargo em julho de 2009.

Com essa prisão já são 11 os detidos no Reino Unido pelo escândalo de escutas ilegais, sendo a maioria jornalistas do jornal que foi fechado em 10 de julho, depois de 168 anos de circulação , em meio ao escândalo.

Entre os detidos, que se encontram em liberdade depois de pagar fiança, estão a ex-diretora do jornal Rebekah Brooks , também ex-chefe-executiva da News International, braço britânico de News Corp. , de Murdoch, e o ex-diretor Andy Coulson , que até janeiro era porta-voz do primeiro-ministro David Cameron.

Além disso, dois comissários-chefe da Scotland Yard, Paul Stephenson e John Yates, renunciaram após serem acusados de envolvimento.

A investigação policial sobre as escutas ilegais do News do World tem duas frentes: a de grampos telefônicos para obter informações exclusivas, enquadrado na operação Weeting, e os subornos à polícia, alvo da operação Elveden.

O tabloide é acusado de ter monitorado os telefones celulares de milhares de pessoas, incluindo políticos e celebridades. No sábado, a Scotland Yard afirmou que uma nova investigação será aberta para determinar se o News of the World também utilizou o serviço de hackers para obter informações.

De acordo com o jornal The Guardian, a investigação acontece após denúncias de que o tabloide teria contratado hackers que enviavam emails com um vírus de computador chamado Trojan. O vírus dava ao hacker acesso total ao computador e permitia que a compilação de informações particulares.

Inquérito judicial

Na quinta-feira, o juiz britânico Brian Levenson abriu oficialmente o inquérito público judicial sobre o escândalo de escutas ilegais, que ocorrerá paralelamente ao inquérito policial.

A comissão responsável pela investigação é formada por outros seis integrantes, entre eles dois jornalistas, um ex-chefe de polícia e um ativista das liberdades civis.

Segundo Levenson, em primeiro lugar o grupo vai avaliar a legislação relativa aos meios de comunicação e se é necessário fazer alterações. "Haverá um debate sobre os limites da ideia de interesse público", indicou o juiz.

Depois, a investigação vai analisar a relação entre a imprensa, a polícia e os políticos na Grã-Bretanha. As audiências públicas começarão em setembro e o grupo tem 12 meses para finalizar um relatório sobre o caso.

Levenson afirmou que tem o poder legal para exigir evidências das testemunhas e que planeja utilizá-lo, caso elas se recusem a colaborar com as investigações.

"Para algumas pessoas oode ser tentador sugerir que o problema é ou era apenas de um grupo de jornalistas do News of the World, mas eu encorajo a todos a pensar de forma mais ampla sobre o bem público e me ajudar a chegar à raiz do problema', afirmou.

Agressor

Também nesta terça-feira, o homem que atirou espuma de barbear em Murdoch em 19 de julho durante seu depoimento no Parlamento britânico foi condenado a seis semanas de prisão pela Corte de Magistrados de Westminster, em Londres.

Jonathan Mai-Bowles, um humorista de 26 anos mais conhecido por Jonnie Marbles , declarou-se culpado na semana passada de agredir o magnata da comunicação, de 80 anos. O agressor tentou atirar um prato de papel com espuma de barbear em Murdoch, mas a esposa do magnata, Wendi, reagiu com rapidez e bateu no agressor.

Após a ação do humorista, a sessão parlamentar em que Murdoch, seu filho James e Rebekah Brooks , ex-chefe executiva da News International, braço britânico da News Corp., prestavam depoimento sobre o escândalo de escutas ilegais do extinto tabloide News of the World teve de ser suspensa por 15 minutos.

Com AFP, EFE e AP

    Leia tudo sobre: gramposnews of the worldgrã-bretanhastuart kuttner

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG