Ex-editor acusado em escândalo de grampos processa empresa de Murdoch

Andy Coulson, que foi porta-voz de Cameron, quer que News International pague custos legais de processo sobre escutas telefônicas

iG São Paulo |

AP
Andy Coulson, ex-editor do News of the Wold e ex-porta-voz de Cameron, em foto de 2010
O ex-editor do extinto tabloide britânico News of the World Andy Coulson está processando a empresa News International, dona do jornal e braço britânico da News Corporation do magnata Rupert Murdoch.

O motivo do processo é a suposta recusa da companhia a pagar os custos legais da defesa de Coulson, envolvido nas investigações sobre o escândalo de escutas ilegais do tabloide.

Após deixar o News of the World , Coulson tornou-se porta-voz do primeiro-ministro britânico, David Cameron. Ele renunciou ao cargo no início do ano, em meio às denúncias contra o tabloide.

A News International se recusou a informar se pagou em algum momento ou se ainda está pagando os custos da defesa de Coulson.

A notícia é divulgada enquanto advogados americanos e britânicos dizem estar estudando a possibilidade de processar a News Corp. nos Estados Unidos.

Nesse caso, a repercussão do escândalo que abalou o império de Murdoch promete se tornar ainda maior. Nos EUA, a News Corp. é dona da emissora Fox News, dos jornais The News York Post e The Wall Street Journal, entre outros.

O advogado britânico Mark Lewis deu poucos detalhes sobre a iniciativa, mas disse que o americano Norman Siegel, que representou várias famílias dos atentados de 11 de Setembro , foi acionado para “explorar se há opções legais”.

Lewis representa a família de Milly Dowler , adolescente assassinada que teve seu celular grampeado pelo News of the World. O caso de Milly provocou indiganção no Reino Unido e ampliou a repercussão do escândalo de escutas ilegais.

Nesta semana, a News International divulgou um comunicado dizendo que espera chegar a um acordo em breve com a família de Dowler, cujas mensagens de voz foram acessadas por jornalistas, depois de seu desaparecimento em 2002.

"Nenhum acordo final foi alcançado até o momento, mas nós esperamos concluir as discussões o mais rápido possível", diz o texto.

Segundo a BBC e o Guardian, foi oferecida uma quantia de 2 milhões de libras, além de 1 milhão de libras em forma de doação para instituições de caridade.

Com AP e BBC

    Leia tudo sobre: news of the worldgramposreino unidocameronmurdoch

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG