Ex-dono da Parmalat pega 10 anos de prisão na Itália

Roma, 18 dez (EFE).- A Justiça de Milão condenou hoje a dez anos de prisão o antigo proprietário da Parmalat Calisto Tanzi, em um dos dois processos abertos pela quebra da companhia italiana em dezembro de 2003.

EFE |

Tanzi, que foi condenado também a ressarcir economicamente as partes civis, era acusado de especulação abusiva, obstáculo à autoridade de vigilância e fraude em auditoria.

Foram absolvidos, no entanto, os outro oito acusados, entre eles o ex-representante da Parmalat na Venezuela Giovanni Bonici, assim como Antonio Luzi, Luis Moncada e Luca Sala, antigos funcionários do Bank of America.

Em comunicado de imprensa divulgado hoje, o Bank of America expressa sua satisfação com a decisão de absolver três de seus antigos empregados da acusação de especulação abusiva.

A Parmalat, que fora o oitavo maior grupo industrial da Itália, foi declarada em quebra após ser descoberto um rombo financeiro de mais de 14 bilhões de euros e sua falência afetou cerca de 30 mil investidores. EFE mcs/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG