Ex-diretor da Tommy Hilfiger admite roubo de US$ 19 milhões

Nova York, 16 set (EFE) - Martin Bodner, ex-responsável financeiro da divisão de bolsas e objetos de couro da Tommy Hilfiger, se declarou hoje culpado por ter roubado mais de US$ 19 milhões desta marca americana de moda. O escritório do promotor federal do distrito sul de Manhattan, Michael García, informou através de um comunicado que Bodner, de 60 anos, reconheceu ter cometido fraude entre 2000 e 2007. Segundo a Promotoria, Bodner admitiu ter aumentado secretamente seu próprio salário e bônus durante esses anos, assim como ter fixado o pagamento entre 2004 e 2005 de cerca de US$ 225.500 a seu filho, que não trabalhava para a empresa.

EFE |

O juiz Kevin Castel poderia estabelecer para ele uma pena máxima de 40 anos de prisão, porque o acusado também confessou ter usado "centenas de cheques" da empresa para pagar despesas pessoais.

Entre essas figuravam despesas relacionadas com o pagamento de um carro de luxo, o seguro de uma casa, apartamentos e vários veículos de sua propriedade, assim como serviços de decoração.

Em um acordo obtido com a Promotoria, Bodner aceitou perder seus direitos sobre uma casa na localidade nova-iorquina de Sands Point, um apartamento em Manhattan e três carros, entre outras propriedades. EFE mgl/ab/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG