O ex-diretor geral delegado do grupo europeu de defesa EADS Jean-Paul Gut foi indiciado pela justiça francesa por benefício de informação privilegiada e liberado após o pagamento de fiança.

O executivo, detido na segunda-feira, foi liberado após o pagamento de uma fiança de 400.000 euros.

O crime de "benefício de informação privilegiada" pode resultar em uma condenação de dois anos de prisão e uma multa que pode chegar a até 10 vezes o valor o lucro obtido.

De acordo com a justiça, Gut vendeu em novembro de 2005 e março de 2006 ações do grupo pelo valor de 1,7 milhão de euros, pouco antes do anúncio oficial de atrasos no programa do avião gigante Airbus A380 e no A350.

O anúncio provocou uma forte crise na EADS e derrubou as cotações do grupo na bolsa.

mra/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.