Ex-diretor da CIA Leon Panetta assume chefia do Pentágono

Novo secretário de Defesa dos EUA promete 'persistir' nos esforços para derrotar a rede terrorista Al-Qaeda

iG São Paulo |

AFP
Leon Panetta toma posse como secretário de Defesa em Washington

O ex-diretor da CIA (agência de inteligência americana) Leon Panetta assumiu nesta sexta-feira o cargo de secretário de Defesa dos Estados Unidos, no momento em que o país prepara a retirada de suas forças militares do Iraque e do Afeganistão.

"Nosso país está em guerra e devemos prevalecer contra nossos inimigos", declarou Panetta em sua primeira mensagem como 23º chefe do Pentágono. "Persistiremos em nossos esforços para desmantelar e derrotar a Al-Qaeda. A operação bem-sucedida que matou Osama bin Laden , uma missão que evidenciou a força e a precisão de nossos militares, é um grande passo rumo a essa meta", disse Panetta, que substituiu Robert Gates, outro ex-diretor da CIA.

Panetta sustentou que os EUA, o governo do Afeganistão e os aliados de Washington devem manter seu compromisso para "assegurar que o país nunca volte a ser um santuário para a Al-Qaeda".

AP
Militar coloca placa com o nome de Panetta em seu novo escritório no Pentágono
Quanto ao Iraque, Panetta disse que os EUA devem "fortalecer uma relação estratégica com o governo iraquiano sustentada não somente na presença militar no país, mas em uma associação real e duradoura".

Panetta falou sobre outra grande tarefa que encara como chefe do Pentágono: a redução do orçamento militar, que representa quase 25% do orçamento nacional.

"Farei tudo o que for necessário para a proteção dos EUA e para atender às necessidades dos homens e das mulheres que prestam serviço e às famílias que os apoiam", disse. "Os EUA devem encarar seus problemas fiscais, mas, durante minha gestão, a força militar não se debilitará", ressaltou.

Despedida de Gates

Na quinta-feira, Robert Gates despediu-se do cargo de secretário de Defesa com honras reservadas a grandes estadistas, em cerimônia militar na qual recebeu a máxima condecoração presidencial. O presidente Barack Obama, com o qual colaborou estreitamente na estratégia para as guerras do Iraque e Afeganistão, reconheceu o importante trabalho desenvolvido por Gates e lhe entregou, de surpresa, a Medalha Presidencial da Liberdade.

Em cerimônia no prédio do Pentágono, em que foi disparada uma salva de 15 tiros de canhão, Obama elogiou o "bom senso e a decência" do político, que descreveu como um "humilde patriota americano". Gates "é um homem que aprendi a respeitar", disse Obama, assegurando que ele não só foi um dos secretários de Defesa mais duradouros, "mas também um dos melhores".

Com EFE

    Leia tudo sobre: leon panettaobamaeuadefesapentágonoafeganistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG