Ex-diretor da Alcatel é condenado nos EUA por corrupção

Miami, 24 set (EFE).- Uma juíza do estado americano da Flórida condenou um ex-diretor da empresa de telecomunicações francesa Alcatel a 30 meses de prisão por pagar propinas a autoridades da Costa Rica, informaram hoje fontes judiciais.

EFE |

Christian Sapsizian, de origem francesa, também deverá pagar multa de US$ 261 mil e cumprir três anos de liberdade vigiada, assim que concluir sua pena na prisão, segundo a sentença emitida na terça-feira em um tribunal de Miami.

A sentença diz que Sapsizian, ex-vice-presidente adjunto da Alcatel para a América Latina, conspirou para subornar por US$ 2,5 milhões autoridades do Instituto Costarriquenho de Eletricidade (ICE), órgão encarregado dos contratos de telecomunicações nesse país.

O objetivo do suborno era fazer com que o ICE exercesse sua influência para um processo de licitação que favorecesse a Alcatel.

Em agosto de 2001, a Alcatel foi escolhida pelo ICE para um contrato de telefonia móvel no valor de US$ 149 milhões.

Sapsizian, de 62 anos, confessou sua participação em uma operação de suborno a vários funcionários do ICE e declarou estar disposto a colaborar com as autoridades americanas nas investigações.

O ex-vice-presidente adjunto da Alcatel para a América Latina se declarou culpado de duas acusações de violação da Lei de Práticas de Corrupção no Exterior e reconheceu ter conspirado de fevereiro de 2000 a setembro de 2004 na operação de suborno para assegurar contratos de telefonia móvel para a empresa francesa na Costa Rica.

Sapsizian também admitiu que atuou nesta trama de subornos junto ao costarriquenho Edgar Valverde Acosta, ex-gerente-geral da Alcatel no país centro-americano. EFE emi/wr/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG