Ex-diplomata americano nega acordo com Karadzic

O ex-negociador americano Richard Holbrooke desmentiu, em uma entrevista divulgada nesta quinta-feira pela CNN, ter concluído um acordo com Radovan Karadzic que teria lhe permitido escapar da justiça internacional, como afirmou o próprio ex-líder político dos sérvios da Bósnia.

AFP |

Holbrooke, um dos responsáveis pelos acordos de Dayton (1995) que acabaram com a guerra na Bósnia, declarou à rede de TV americana que obteve apenas de Karadzic o compromisso de se retirar da vida política, em julho de 1996.

"Negociei um acordo muito complicado. Ele devia se retirar imediatamente de seus dois cargos de presidente da enntidade sérvia da Bósnia e de líder de seu partidom e foi o que ele fez", declarou Holbrooke.

"Porém, ele divulgou logo em seguida a mensagem falsa de que eu teria concluído um acordo com ele, segundo o qual se ele desaparecesse, não seria perseguido", acrescentou.

Nesta quinta-feira, em sua primeira audiência no Tribunal Penal Internacional (TPI) da ex-Iugoslávia, Radovan Karadzic se referiu a um suposto "acordo" concluído com Holbrooke durante a assinatura dos acordos de Dayton.

"O acordo estipulava que eu me retiraria da vida pública, e até da vida literária, e que em troca os Estados Unidos cumpririam com suas obrigações", explicou, sem entrar em detalhes sobre estas supostas obrigações.

Holbrooke "falava em nome dos Estados Unidos da América", lembrou.

A família de Karadzic afirmou diversas vezes que o prometido pelo negociador americano era que o líder sérvio-bósnio não seria entregue ao TPI se saísse totalmente da vida pública e política.

Isso explicaria como Karadzic, indiciado pelo TPI em 1995, conseguiu escapar durante tanto tempo da justiça internacional.

ddl/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG