Ex-conselheiro de Clinton será chefe de gabinete de Obama

O deputado americano Rahm Emanuel aceitou o convite do presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, para assumir o cargo de chefe de gabinete no futuro governo. Trata-se da primeira indicação de alto escalão do presidente eleito, que assume o poder em 20 de janeiro.

BBC Brasil |

AP
Rahm Emanuel será chefe de gabinete de Obama

Rahm Emanuel será chefe de gabinete de Obama

Emanuel, congressista do mesmo Estado de Obama, Illinois, foi conselheiro do presidente Bill Clinton, que ocupou a Casa Branca de 1993 a 2001.

O congressista é conhecido pelo estilo combativo na arena política e foi apelidado de "Rahmbo" pela imprensa americana.

Atualmente em seu segundo mandato na Câmara dos Representantes, Rahm foi membro da Comissão da casa responsável por discutir questões relacionadas a impostos, comércio e seguridade social.

No cargo de chefe de gabinete, Emanuel será o responsável pela administração interna do futuro governo.

Também nesta quinta-feira, o principal estrategista da campanha de Obama, David Axelrod, foi confirmado como conselheiro do futuro presidente.

Obama já havia anunciado os nomes de sua equipe de transição, liderada por John D. Podesta, ex-chefe de gabinete de Clinton.

Tesouro

O presidente eleito pode anunciar ainda nesta quinta-feira o nome do seu secretário do Tesouro, um cargo de grande importância dada a crise financeira pela qual o país vem passando.

Segundo a imprensa americana, Obama estaria analisando pelo menos três nomes para assumir o cargo hoje ocupado por Henry Paulson: Larry Summers, ex-secretário do Tesouro no final do governo Clinton (1999-2001); Timothy Geithner, atual presidente do Banco Central do Estado de Nova York; e Paul Volcker, ex-presidente do Banco Central americano.

O próprio Obama chegou a revelar durante a campanha que Summers, Volcker e também o megainvestidor Warren Buffett estavam entre os seus conselheiros econômicos.

Com a instabilidade financeira, analistas avaliam que o novo presidente não pode demorar para indicar o nome do novo secretário do Tesouro, já que o mercado e os consumidores afetados pela crise esperam de Obama orientação e sinais de segurança.

CIA

O atual presidente, George W. Bush, anunciou que irá ter uma reunião com Obama no início da próxima semana para discutir vários assuntos, entre eles a crise financeira e a guerra no Iraque.

Também nesta quinta-feira, Obama começou a receber os relatórios de inteligência preparados pela CIA (Agência de Inteligência Americana) para a Casa Branca. Os relatórios incluem detalhes sobre operações secretas.

Assessores do presidente eleito disseram que Obama deve fazer declarações a jornalistas no final desta semana, quando provavelmente deve revelar mais sobre os integrantes de sua equipe de governo.

Durante a campanha, Obama deixou claro que pretende trabalhar com democratas e republicanos no governo, cruzando as linhas partidárias que foram uma marca do governo do presidente George W. Bush.

Isso deu peso a especulações na imprensa americana de que o novo presidente deve ter republicanos no seu gabinete. Um dos nomes cogitados é o do atual secretário de Defesa, Robert Gates, que poderia ser convidado a permanecer no cargo. Segundo a correspondente da BBC em Washington Jane O'Brien, Gates é um nome respeitado pelos dois partidos.

Os indicados do novo presidente para alguns cargos, como o de secretário de Estado, só poderão assumir seus postos depois de passar por sabatinas no Congresso.

Obama e seu vice, Joe Biden, ainda ocupam formalmente o cargo de Senador, ao qual devem renunciar antes da posse, marcada para o dia 20 de janeiro.

Carolina do Norte

Nesta quinta-feira, a rede de televisão americana NBC projetou a vitória de Obama no Estado da Carolina do Norte, um dos dois únicos Estados em que a apuração ainda não havia terminado.

Se a vitória se confirmar, Obama passará a ter 364 votos no Colégio Eleitoral, contra 152 do candidato republicano John McCain.

O Missouri é o outro que permanecia em aberto, e ainda não há previsão de quem foi o vencedor no Estado.

O comparecimento às urnas em todo o país foi considerado excepcionalmente alto - em alguns locais, sem precedentes na história.

Além de votar para presidente, os americanos escolheram na terça-feira novos deputados federais e renovaram um terço das cadeiras do Senado.

Em ambas as casas legislativas, os democratas conseguiram ampliar sua maioria, o que deve ajudar Obama a aprovar seus projetos. Os novos parlamentares devem assumir seus cargos em 3 de janeiro.

Leia também:

  • Obama designa equipe encarregada de preparar a transição
    • Leia tudo sobre: eleições nos eua

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG