Exclusão da cúpula do Grupo do Rio pune povo hondurenho, diz Lobo

Tegucigalpa, 22 fev (EFE).- O presidente de Honduras, Porfirio Lobo, disse hoje que sua exclusão da cúpula do Grupo do Rio realizada no México não o pune, mas sim ao povo hondurenho, para quem isso seria uma falta de respeito.

EFE |

"Quem está sendo excluído não é o presidente, é um povo, porque um povo elegeu de acordo com sua vontade" nas eleições de 29 de novembro, ressaltou Lobo, do conservador Partido Nacional, em entrevista coletiva.

"Acho que, mais do que ver a figura de um presidente, se trata de ver o direito de um povo de ter suas decisões respeitadas", disse o chefe de Estado hondurenho.

O Governo mexicano disse que não convidou Honduras para a cúpula devido ao fato de o país estar suspenso da Organização dos Estados Americanos (OEA) por causa do golpe que derrubou Manuel Zelaya da Presidência em junho de 2009.

Lobo destacou que o secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza, reconheceu que a organização poderia ter evitado a crise gerada pelo golpe contra Zelaya, que levou ao isolamento internacional de Honduras. EFE lam/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG