Ex-chefe paramilitar colombiano pega 6 anos de prisão por morte de camponês

Bogotá, 5 jan (EFE).- O ex-chefe paramilitar colombiano Éver Veloza, reclamado em extradição pelos Estados Unidos, foi condenado a seis anos e três meses de prisão pela morte de um camponês, disseram hoje em Bogotá porta-vozes judiciais.

EFE |

A decisão foi adotada por um juizado penal especializado de Medellín, que, inicialmente, sentenciou Veloza a 15 anos de prisão, informou a Procuradoria Geral, que explicou que a redução da pena foi por causa dos benefícios que recebeu por confessar o crime e se submeter a um julgamento curto.

O ex-paramilitar compareceu como responsável do homicídio de Humberto Pacheco Castillo, camponês assassinado em julho de 1995 em Apartadó pelo antigo Bloco Bananero (BB) da dissolvida organização Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC).

Veloza, conhecido pelos apelidos de "H.H" e "Carepollo", era o chefe do BB, que atuava na zona de Urabá, e também do Bloco Calima (BC), que operava no sudoeste do país.

A Polícia deteve Veloza em abril de 2007 em Antioquia, departamento cuja capital é Medellín e a partir do qual, segundo as autoridades colombianas, mantinha atividades de tráfico de drogas.

EFE jgh/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG