Ex-chefe militar iugoslavo é condenado a 27 anos de prisão

Momcilo Perisic é considerado culpado de crimes contra a humanidade e crimes de guerra na Bósnia-Herzegovina e na Croácia

iG São Paulo |

AP
Momcilo Perisic ouve decisão judicial durante audiência em Haia
O Tribunal Penal Internacional para a antiga Iugoslávia (TPII) condenou nesta terça-feira a 27 anos de prisão o ex-comandante do Estado-Maior iugoslavo Momcilo Perisic.

Ele foi considerado culpado de crimes contra a humanidade e crimes de guerra na Bósnia-Herzegovina e na Croácia.

Segundo o TPII, Perisic, 67 anos, forneceu oficiais, armas e ajuda logística ao Exército dos Sérvios da Bósnia (VRS) e ao SVK, Exército da Krajina Sérvia (entidade sérvia autoproclamada na Croácia), sabendo que eles cometeriam crimes.

Perisic foi considerado culpado de 12 acusações, entre elas assassinato, perseguição por motivos políticos, raciais e religiosos, e ataque contra civis.

Mas ele foi absolvido da acusação de "extermínio" de muçulmanos em Srebrenica , em 1995. Segundo o tribunal, Perisic não poderia prever que os sérvios da Bósnia iriam exterminar cerca de oito mil homens no massacre.

Perisic liderou o Estado-Maior do Exército iugoslavo entre 1993 e 1998, durante o regime do ex-presidente sérvio e iugoslavo Slobodan Milosevic. Ele se entregou ao TPII voluntariamente em 7 de março de 2005. O julgamento teve início em 2 de outubro de 2008 e Perisic se declarou inocente.

Os juízes consideraram que o ex-chefe militar criou centros para preparar homens às forças servo-bósnias dirigidas por Ratko Mladic . Entretanto, disseram que não foram apresentadas provas suficientes de que o acusado deu ordens aos sérvios da Bósnia.

"Perisic era incapaz de dar ordens a Mladic, que atuava por conta própria", declarou o juiz presidente da sala, o sul-africano Bakone Justice Moloto, durante a leitura da sentença.

Segundo o tribunal, o acusado não teve "responsabilidade penal" sobre os crimes perpetrados pelas forças de Mladic, mas exercia "controle efetivo" sobre o pessoal do Exército Iugoslavo.

Fazendo anotações, Perisic escutou tranquilamente sua sentença. Cabem recursos judiciais tanto à defesa, que pede sua absolvição, quanto à promotoria, que tinha pedido prisão perpétua para Perisic.

Com EFE e AFP

    Leia tudo sobre: bósniacroáciaSrebrenicaratko mladicsérvia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG