Ex-chanceler do Khmer Vernmelho invoca indulto real para obter liberdade

Os advogados do ex-chanceler do Khmer Vermelho Ieng Sary, acusado de crimes de guerra e crimes contra a humanidade por um tribunal patrocinado pela ONU, pediram nesta quarta-feira a libertação do cliente em nome de um indulto real pronunciado em 1996.

AFP |

"Este perdão e esta anistia outorgam a Ieng Sary uma imunidade contra todas as demandas posteriores", afirmou um dos advogados do acusado, Ang Udom, durante uma audiência prévia em Phnom Penh no tribunal da ONU, que desde 2006 julga os ex-dirigentes do antigo regime.

"O decreto real cobre todos os crimes. A sala de audiências prévias deve liberar Ieng Sary imediatamente e sem condições", acrescentou.

Ieng Sary, 82 anos, chanceler do regime comunista do Khmer Vermelho (1975-79), foi considerado culpado de genocídio por um tribunal popular de Phonm Penh em 1979 e condenado à revelia a pena de morte.

Porém, em 1996 foi beneficiado por um indulto real e uma anistia motivadas por uma política de "reconciliação nacional".

suy-pf/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG