Exames de DNA identificam restos de dois filhos do último czar

Os exames de DNA realizados por um laboratório norte-americano confirmaram que os restos encontrados na Rússia em 2007 eram de dois dos filhos de Nicolau II, o último czar, assassinado junto com toda sua família em 1918, indicaram nesta quarta-feira as agências russas.

AFP |

"Os resultados das amostras permitem afirmar que se trata dos restos de Alexei e da princesa Maria", afirmou o governador de Sverdlovsk, na região dos Urais, Eduard Rossel, citado pela agência Ria Novosti.

Os restos, que apresentavam sinais de uma morte violenta, foram encontrados em 2007 nos arredores de Ekaterimburgo, ex-Sverdlovsk.

"Encontramos toda a família", afirmou o governador.

As outras ossadas da família Romanov, do czar, de sua mulher e de três de suas filhas, retirados de uma fossa comum em Ekaterimburgo em 1991, foram oficialmente identificados em 1998 pelo governo russo.

O czar Nicolau II, sua esposa a imperatriz Alexandra e seus cinco filhos, foram detidos e executados pela Cheka, a Polícia secreta de Lenin em Ekaterimburgo no dia 17 de julho de 1918, oito meses depois da tomada de poder pelos bolcheviques.

O czar e sua família foram canonizados como mártires em agosto de 2000 pela Igreja Ortodoxa russa.

Seus supostos restos foram enterrados com todas as honras na antiga capital imperial, São Petersburgo, na presença do então presidente russo Boris Yeltsin, em meio a uma polêmica relacionada a sua autenticidade.

neo/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG