Exame sistemático poderia reduzir Aids, diz OMS

Um estudo divulgado nesta quarta-feira pela Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta que a implementação de um teste mundial para a detecção do vírus HIV, seguida imediatamente de tratamento para os casos positivos, poderia diminuir em 95% o número de pessoas desenvolvendo a Aids. Ainda segundo a pesquisa, essa estratégia poderia virtualmente eliminar a transmissão pelo vírus.

BBC Brasil |

O estudo se baseia em modelos computacionais que projetaram o que ocorreria se todas as pessoas com mais de 15 anos fizessem o exame a cada ano.

Mas a OMS admitiu que o teste universal é uma idéia pouco realista, devido à fragilidade de vários sistemas de saúde no mundo.

Obstáculos
À primeira vista, os resultados do estudo da OMS parecem ser um argumento claro para que implemente um exame mundial, que poderia até se tornar algo trivial durante check-ups regulares, como o teste de pressão ou o de colesterol.

Segundo os pesquisadores, o diagnóstico e o tratamento imediato com medicamentos anti-retrovirais poderiam reduzir os casos de Aids de 20 em cada mil para um em cada mil, em apenas dez anos.

Mas atualmente, a maneira como testes e tratamentos são realizados não é uniforme ao redor do mundo. Além disso, enquanto cerca de 3 milhões de pessoas recebem o tratamento adequado, outros 6,7 milhões ainda precisam de acesso aos medicamentos.

A OMS aletou também para o fato de que iniciar o tratamento com pacientes que ainda não desenvolveram a doença pode aumentar a resistência aos medicamentos.

Ainda segundo a entidade, os efeitos colaterais do uso prolongado desses remédios são desconhecidos e podem ser severos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG