Exame de DNA pode determinar se detido no Iraque é líder da Al Qaeda

Cairo, 25 abr (EFE).- As autoridades do Iraque recorreram a um exame de DNA para confirmar a identidade de uma pessoa detida na quinta-feira passada e que pode ser o líder máximo da Al Qaeda no Iraque, Abu Omar al-Baghdadi, informou a televisão iraquiana.

EFE |

O canal transmitido via satélite "Al Sumaria" recolheu declarações do porta-voz das operações militares em Bagdá do Exército iraquiano, general Qasem Atta, o qual confirmou as investigações e pediu mais tempo para divulgar os resultados.

Foi o próprio Atta que, segundo a rede de televisão oficial iraquiana "Al Iraquia", anunciou na quinta-feira a detenção de al-Baghdadi, mas desde então não foram liberados outros dados que confirmem essa versão. Além disso, o detido não foi apresentado à imprensa.

O porta-voz das forças militares americanas no Iraque, general David Perkins, também não confirmou que o detido seja o líder máximo da Al Qaeda em terras iraquianas.

À espera de resultados oficiais sobre estas investigações, alguns veículos de comunicação da região ecoaram as dúvidas de que o detido seja o líder da Al Qaeda e de que, inclusive, exista uma pessoa com o nome de Abu Omar al-Baghdadi.

Segundo a publicação internacional em árabe "Asharq al Awsat", editada em Londres, a verdadeira identidade da pessoa detida na quinta-feira é Hamed el Sawi, um antigo oficial da Polícia da província de Al-Anbar, no oeste do Iraque.

Essa região do Iraque era até pouco tempo atrás uma das principais fortalezas da Al Qaeda e, segundo o mesmo jornal, Hamed era conhecido em Al-Anbar por seu extremismo político.

Outros porta-vozes oficiais indicaram que foi o próprio detido que se identificou como Abu Omar al-Baghdadi quando foi detido. Além disso, utilizava o pseudônimo Ahmed Obeid Ahmed Khamis.

Alguns veículos de imprensa do Iraque e de outros países da região vão além e sustentam que, por trás do nome de Abu Omar al-Baghdadi, não existe somente uma pessoa, mas várias que se identificam assim de forma individual ou coletivamente.

A imprensa regional lembrou também que não é a primeira vez que a detenção de al-Baghdadi é anunciada. Entretanto, nas ocasiões anteriores, as fontes eram menos confiáveis. EFE aj-ag/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG