Exame de DNA mostra 100% de ligação com Bin Laden

Segundo fonte de inteligência, Estados Unidos estão revisando material apreendido em complexo paquistanês onde saudita foi morto

iG São Paulo |

Exames de DNA realizados no corpo de Osama bin Laden mostraram praticamente 100% de ligação dele com seus familiares, e uma mulher que seria uma das esposas do líder da Al-Qaeda o identificou pelo nome, disse uma alta fonte de inteligência dos EUA.

Os Estados Unidos agora estão revisando uma grande quantidade de material apreendida no complexo paquistanês onde as forças norte-americanas mataram Bin Laden, disse a fonte, falando com jornalistas sob condição de anonimato. "Esse material está sendo explorado e analisado, e uma força-tarefa será criada pela CIA... devido ao volume de material apreendido no local da operação", afirmou.

Uma outra autoridade dos EUA disse mais cedo nesta segunda-feira que exames iniciais de DNA mostravam uma "correspondência muito confiável" com o líder da Al-Qaeda. O teste mostrou "alta confirmação" de que a pessoa morta em uma operação no Paquistão era Bin Laden, disse a autoridade.

A morte de Bin Laden foi anunciada pelo presidente americano, Barack Obama , na madrugada desta segunda-feira (horário de Brasília). Segundo Obama, um pequeno grupo de agentes americanos realizou a operação que matou Bin Laden em um complexo no Paquistão e capturou o corpo do líder da Al-Qaeda.

Bin Laden era o primeiro na lista dos criminosos mais procurados pelas autoridades americanas. As forças americanas tentavam capturar o líder da Al-Qaeda há mais de dez anos, antes dos ataques de 11 de Setembro de 2001, que mataram cerca de 3 mil pessoas no World Trade Center, em Nova York, e no Pentágono, em Washington.

Obama afirmou que, após ter recebido informações de inteligência confiáveis sobre o lugar onde se encontrava Bin Laden, no Paquistão, na semana passada deu a ordem de atacar. A operação foi conduzida por um "pequeno grupo" e o líder terrorista foi morto após troca de tiros. Um teste de DNA confirmou que era Bin Laden o morto na operação dos EUA, segundo um oficial americano à rede de TV CNN.

"Esta noite, os Estados Unidos lançaram uma mensagem inequívoca: não importa quanto tempo leve, a justiça será feita", declarou o presidente americano em sua breve declaração. Para Obama, a morte de Bin Laden representa a maior conquista contra a Al-Qaeda.

Chefes de governo, Estado e autoridades de várias partes do mundo comemoraram a notícia. O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, disse esperar que a morte de Bin Laden traga algum tipo de conforto aos familiares e amigos das vítimas dos atentados de 11 de Setembro.

“Os nova-iorquinos esperaram quase 10 anos por essa notícia”, disse Bloomberg. “A morte de Osama bin Laden não diminui o sofrimento que os nova-iorquinos e dos americanos experimentaram em suas mãos, mas é uma vitória de importância crucial para a nossa nação".

O ex-presidente George W. Bush, que comandava o país na época dos atentados, disse que a morte de Bin Laden é uma vitória para os Estados Unidos. “Essa importante realização marca uma vitória para a América, para as pessoas que buscam a paz ao redor do mundo e para todos aqueles que perderam seus entes queridos em 11 de Setembro de 2001”, disse Bush.

A grande maioria dos países expressou nesta segunda-feira satisfação com a morte de Osama Bin Laden, ocorrida durante uma operação americana no Paquistão.

*Com Reuters

    Leia tudo sobre: bin ladeneuaterrorismoafeganistãopaquistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG