Ex-advogado inglês de Berlusconi é condenado na Itália

O ex-advogado de Silvio Berlusconi, o britânico David Mills, foi condenado nesta terça-feira a quatro anos de prisão por prestar falso testemunho a favor de seu cliente, o atual primeiro-ministro italiano, que evitou o julgamento graças à aprovação de uma lei garantindo sua imunidade enquanto estiver no cargo.

AFP |

"Sou inocente, inocente. Este é um caso altamente político, estou muito decepcionado com o veredicto", declarou Mills, que está em Londres.

Os advogados do ex-defensor de Berlusconi anunciaram que pretendem recorrer da sentença, que chamaram de "ilógica", indicou à imprensa Federico Cecconi.

O advogado britânico foi condenado por ter apresentado falsos depoimentos a favor do político italiano nos dois processos, no fim dos anos 90, envolvendo a Fininvest, 'holding' da família Berlusconi.

O julgamento contra o próprio Berlusconi dentro do mesmo caso foi suspenso em outubro de 2008, após a adoção de uma polêmica lei garantindo a imunidade penal ao primeiro-ministro.

Na época, o escândalo chegou a atingir o governo britânico, já que, até 2006, Mills foi casado com a ministra da Cultura de Tony Blair, Tessa Jowell, que atualmente é a ministra para os Jogos Olímpicos de 2012, que serão disputados em Londres. O casal já está separado há alguns anos.

Berlusconi foi acusado de ter pago ilegalmente 600.000 dólares ao célebre advogado britânico, especialista em direito internacional.

David Mills, que se especializou na criação de sociedades "off-shore", foi processado pela abertura de contas bancárias em nome da Fininvest em paraísos fiscais.

O promotor Fabio De Pasquale pediu que fossem negadas as circunstâncias atenuantes a Mills, já que este aparece na lista de "assalariados" da sociedade de Berlusconi, de quem "dependia profissional e economicamente".

Em janeiro, Mills afirmou perante o tribunal que Berlusconi havia sido "vítima" de seus erros.

David Mills, de 65 anos, havia dito em 2004 que o dinheiro recebido era "um presente" enviado por Berlusconi, num gesto de gratidão por ele ter conseguido evitar novos julgamentos e investigações. Dois anos depois, negou tudo e decidiu iniciar uma batalha judicial com seu ex-cliente.

Proprietário de um verdadeiro império industrial que inclui, entre outras empresas, três importantes canais de televisão, um jornal, uma revista, a maior editora da Itália e uma agência de publicidade, Berlusconi foi absolvido em vários julgamentos graças à morosidade da justiça, beneficiando-se da prescrição dos delitos cometidos, principalmente em casos de corrupção.

kv/ap/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG