Manifestantes indígenas protestam contra construção de rodovia que passa por reserva natural e tem recursos brasileiros

O presidente da Bolívia, Evo Morales, ofereceu um diálogo direto com manifestantes indígenas que preparam um enorme protesto em La Paz nesta quarta-feira contra a construção de uma rodovia em uma reserva natural.

Manifestantes balançam bandeiras da Bolívia e dos indígenas durante marcha em direção à capital, La Paz
Reuters
Manifestantes balançam bandeiras da Bolívia e dos indígenas durante marcha em direção à capital, La Paz

O ministro de Governo (equivalente à Casa Civil) da Bolívia, Wilfredo Chávez, disse que a polícia vai garantir a segurança dos indígenas. Há cerca de 20 dias, uma manifestação semelhante foi reprimida com violência .

Chamando os manifestantes de “irmãos em marcha”, o ministro acrescentou que “todos os direitos serão preservados”. O ministro acrescentou que a disposição do governo é buscar o “diálogo e a boa fé” no relacionamento com os manifestantes. “O palácio está aberto para a recepção dos indígenas", disse Chávez. Está prevista uma reunião dos líderes do movimento com Evo Morales.

Os milhares de manifestantes protestam contra a construção da estrada Villa Tunari 2-San Ignacio de Moxos, que corta uma das maiores reservas indígenas do país. A marcha contra a estrada, que está a cargo da empresa brasileira OAS, dura 65 dias.

A crise na Bolívia levou à renúncia de dois ministros e fez com que Morales anunciasse a suspensão temporária da obra rodoviária. Agora, a construção será submetida a referendo nas regiões de Beni e Cochabamba, por onde passaria a estrada.

Um empréstimo de US$ 332 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) previsto para ser feito à construção ainda não foi efetuado. De acordo com o BNDES, nenhum desembolso visando a financiar importações de equipamentos e serviços brasileiros foi realizado até o momento.

O BNDES garantiu também que aguardará a decisão do governo da Bolívia sobre a continuidade ou não da construção da estrada. O financiamento foi aprovado no fim do ano passado e contratado no começo deste ano, e a obra teve início em junho.

Com EFE e Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.