Cercado por plantadores de coca em seu curral eleitoral de Chapare, o presidente Evo Morales votou neste domingo no referendo revogatório, acompanhado de seus filhos - uma faceta de sua vida privada muito pouco conhecida - e sem escolta já que o povo se organiza para me dar segurança, disse.

Morales, primeiro indígena que governa a Bolívia, apresentou-se cercado pelos dois filhos numa inédita imagem familiar, e ofereceu café da manhã aos jornalistas na Villa 14 de Septiembre, um pequeno povoado na floresta, no centro da Bolívia.

Evaliz ficou a sua direita e Alvaro, à esquerda; os dois adolescentes têm 13 anos, aproximadamente.

Morales disse que "sempre que pode fica com as crianças" e que não quer expor os filhos".

"Os dois são muito parecidos ao pai", "O garoto é quase como uma cópia", comentavam os participantes do café da manhã, numa grande mesa na qual foi também oferecida aos comensais uma sopa de pescado típica da região.

Evaliz esquivou-se das câmaras e dos microfones, mas Alvaro aceitou responder a algumas perguntas, tranqüilo e orgulhoso de ser filho do presidente.

Segundo alguns moradores de Villa 14 de Septiembre, a imagem familiar deveria ser mostrada mais pelo presidente esquerdista, que é solteiro, para desvirtuar acusações de opositores que habitualmente o criticam por tomar decisões indolentes porque não tem família constituída.

Na Bolívia, pouco se sabe da vida particular do presidente boliviano, sempre muito cuidadoso com sua vida privada.

Depois do café, Morales foi a uma escola pública da localidade para votar ante centenas de partidários e plantadores de coca, com pouca segurança policial e militar.

"Vim apenas com meu motorista e meus filhos", disse.

Vestindo camisetas brancas, os cocaleiros da "guarda presidencial" fizeram uma espécie de cerco em torno do presidente que votou e expressou o desejo de conseguir "a grande unidade do povo boliviano".

str/jlv/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.