Evo Morales masca folhas de coca na ONU para defender sua legalização

VIENA - O presidente boliviano, Evo Morales, defendeu nesta quarta-feira, de forma singular, a retirada da folha de coca da lista internacional de substâncias proibidas. Diante dos ministros dos 53 países membros da comissão de entorpecentes da ONU, ele mascou algumas folhas de coca na reunião do grupo em Viena.

AFP |

AP
Morales mostra folha de coca em Viena
Morales mostra folha de coca em Viena

"A folha de coca não é cocaína, não é nociva para a saúde, não provoca males físicos nem dependência", enfatizou Morales, durante a sessão plenária do 52 o  encontro da comissão.

O presidente boliviano acrescentou que estas folhas são cultivadas há 3 mil anos e que são o símbolo da identidade e da cultura dos povos andinos. "Se isso é uma droga, então podem me prender", afirmou.

Morales luta contra a estigmatização do cultivo da folha de coca, a partir da qual se fabrica a cocaína, mas que também é considerada uma planta sagrada na Bolívia, e cujo consumo é tradicional e terapêutico.

O Órgão Internacional de Controle de Entorpecentes (OICS) reclama a proibição da mastigação destas folhas. Na Bolívia, terceiro país produtor mundial depois da Colômbia e Peru, são cultivados 28 mil hectares de folhas de coca.

Leia também:


Leia mais sobre drogas


    Leia tudo sobre: drogas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG