Evo Morales diz que será difícil eliminar cocaína da Bolívia

La Paz, 22 jan (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, ressaltou a dificuldade no combate às drogas em seu país e afirmou que será difícil acabar com o problema da cocaína.

EFE |

O governante disse que as forças de combate ao narcotráfico apreenderam 60 toneladas da droga entre 2006 e 2008, quase o dobro das 33 toneladas confiscadas entre 2003 e 2005.

Cerca de 30% da cocaína apreendida na Bolívia vem de países vizinhos, principalmente o Peru, cujos traficantes utilizam o território boliviano como rota para levar a carga para o Brasil, segundo Morales.

Desde 2006, a Bolívia também erradicou 17.000 hectares de coca "sem uso de violência" contra os sindicatos de camponeses, disse o presidente.

Apesar dos números apresentados, Morales se disse pessimista quanto à erradicação total da cocaína.

"Após três anos de Governo, sinto que é difícil acabar com a cocaína no país", disse.

O presidente boliviano, que ainda é dirigente dos cocaleiros da zona de Chapare, garantiu que não admite a destruição total das plantações. Morales defende os usos cultural, medicinal e industrial da coca. EFE ja/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG